O DESIGN, O LIXO E A CONSCIÊNCIA

A lista de acontecimentos ocorridos em 2015 é grande. Bons, muito bons, ruins e muito ruins. E pra mim esses altos e baixos da vida são super aceitáveis! Agradeço ao universo pela oportunidade de aprender e evoluir com essas experiências.

Mas em algum momento destes 365 dias que se passaram algo aconteceu. E mudou minha forma de ver, pensar, sentir e agir.


venini_vase_2

Tudo começou com uma breve pesquisa sobre a produção do vidro. Queria informações mais concretas sobre o uso dos recursos naturais no design e acabei mergulhando num mundo de informações não muito agradáveis…

Quanto mais me aprofundava, mais a culpa pesava em meus ombros.

Descobri que por causa do refrigerante que (não)tomo, em 2016 serão produzidas 840mil toneladas de garrafa PET só aqui no Brasil, e que 50% será descartada nos solos e oceanos.

PET o maior poluidor

Entendi que cada pedacinho de plástico, incluindo o filme que embalo os alimentos e a bexiga da festa das crianças é altamente poluidor, já que é quase impossível a sua reciclagem devido aos tamanhos reduzidos depois do uso.

bexiga

Ainda, percebi que tudo, absolutamente tudo, o que existe dentro das nossas casas, falando mais especificamente da decoração, provém de recursos naturais do planeta. Do cimento ao lençol da cama. E que num momento de compra, eu nunca havia questionado de onde e como aquilo havia sido fabricado, de onde foi extraído, e qual impacto ambiental gerou até chegar na minha casa.

Entendi que para uma madeira ser proveniente de área de reflorestamento, uma floresta foi dizimada antes.

Percebi que as indústrias de extração de mármores e granitos sempre inserem em seus sites alguma coisas sobre “compromisso sócio ambiental” e “respeito ao meio ambiente”, mas o que fazem é cortar literalmente montanhas, que eram cobertas de florestas, que eram o habitat de milhares e milhares de animais.

extração de mármores e granito

E que as pequenas reformas que fazemos todos os dias em nossas casas, comércios e escritórios rendem avassaladoras 122MIL toneladas ao dia de entulho que, quando não separados corretamente, são descartados como lixo comum.

Mas entendi que o lixo comum deveria ser destinado aos aterros sanitários, que são áreas “teoricamente” preparadas para receber o lixo sem que haja contato com solo e lençol freático e que apenas 40% das cidades brasileiras o fazem. O que significa 78 mil toneladas de lixo por dia indo para os lixões.

lixão
Imagem: http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2015/07/lixo-produzido-por-80-milhoes-de-brasileiros-nao-tem-destinacao-correta.html

Descobri que os lixões são proibidos desde agosto de 2014 (nota: já que não foi cumprido o prazo para a erradicação dos lixões, foi criado um projeto de Lei que prevê ampliar o prazo para 2021), mas que 60% das cidades brasileiras ainda os mantém, e que um dos piores exemplos do nosso país fica em Brasília.

E que um próximo passo seria a incineração, porém os gases que são liberados na atmosfera são altamente tóxicos, liberando substâncias  bio acumulativas, carcinogênicas e teratogênicas (podem causar dano ao embrião ou ao feto durante a gravidez), podendo ser absorvidas pela pele, inaladas ou ingeridas.

Daí lembrei que cartões de natal com musiquinhas usam baterias. E pensei quantos desses cartões já ganhei e descartei sem pensar que essas baterias liberam  mercúrio,  chumbo e cádmio, que são muito tóxicos mesmo em pequenas quantidades.

pilhas e bateriais no lixo

Então entendi que o processo do consumo do século XX foi inserido pelos americanos para “salvar” a economia daquele país, mas se alastrou como uma doença em todo o mundo. E todo o “sistema” de extração dos recursos naturais, produção, venda e descarte só visa o lucro para as indústrias.

E percebi que essa ansiedade que tenho quando preciso comprar algo novo e moderno é exatamente o que os fabricantes, indústrias e governos querem que eu sinta. A sensação de que “se eu não comprar aquilo serei pior que o meu vizinho ou que não serei feliz” foi introduzida na minha vida desde criança, e é tão difícil se libertar desse conceito quanto largar um vício.

Comecei a procurar embalagens biodegradáveis e me deparei com um mundo de plástico sem fim.

supermercado

Me deparei com placas nas estradas de “não jogue lixo na estrada” “área de proteção ambiental” e “não polua”. Mas percebi que são placas hipócritas, sendo colocadas ali pelos municípios ou estado, que não implementam nenhum projeto real para a reciclagem de resíduos.

lixo no lixo

Me questionei qual a dificuldade dos governos em criarem um plano de conscientização para a população, e entendi que não existe dificuldade. Simplesmente os governantes não podem dar esse conhecimento à população, por que a sociedade cobrará as atitudes corretas.

Posso afirmar que a lista de tudo o que encontrei não pára por aqui. Chorei muito ao pesquisar e perceber o quanto eu, como ser humano, cidadã e profissional estava ausente e alienada. Senti vergonha de mim mesma.

Tenho conversado bastante sobre isso com as pessoas ao meu redor, e percebo o quanto essas informações são irritantes. Muita gente não quer saber, por que acha que já faz a sua parte… mas que parte meu deus?! Pagar as contas, separar a latinha de cerveja, doar roupas velhas para pessoas carentes?

Garanto que isso não é nada. O planeta está sendo consumido de forma violenta. A pobreza gerada pelas guerras de ego e poder são reflexo dessa economia linear, abusiva e consumista a que todos nós somos submetidos desde o momento em que nascemos.

A reciclagem é importante? Sim. Mas ela não é suficiente para a demanda do consumo atual. Precisamos reduzir o consumo urgentemente! De tudo! Por que reduzir o consumo é reduzir o uso dos recursos naturais e reduzir o lixo também.


E é por isso que em 2015 meu trabalho deu uma virada. Não consigo mais trabalhar como designer de interiores pensando apenas na decoração linda e perfeita, sabendo que tudo isso está acontecendo aqui, bem embaixo do meu nariz. E simplesmente ignorar. Não é indicando uma “madeira de demolição” para um cliente que estarei sendo sustentável. Ser sustentável vai além… ser sustentável é estar consciente, procurar formas de resolver os problemas que causei ao longo dos anos sendo uma profissional alienada nos moldes tradicionais, ser sustentável é pesquisar materiais que sejam menos agressivos ao meio ambiente.

E pesquisar não só o produto final, como também a industria que o produz. As grandes marcas, conhecidíssimas e respeitadas, usam o marketing em seu benefício para iludir o consumidor que só lê o rótulo bonitinho. As indústrias que mais poluíram o mundo até hoje, são as mais ricas, e são as que mais buscam “certificações” verdes. Entre no site de qualquer marca, das melhores e mais importantes do mundo… e irá encontrar alguma certificação verde… ou certamente encontrará as palavras  “meio ambiente” ou “sócio ambiental. Precisamos acordar!

Não adianta iniciar um ano novo, pensando que as coisas ruins devem ser deixadas pra trás e tudo esquecido. Os próximos 365 dias não serão melhores se a gente não aceitar os nossos erros e tentarmos juntos, resolvê-los.

Não vamos terceirizar a culpa, por que ela é nossa! Mas vamos transformar essa culpa em atitude, em ação!

Acredito na mudança? Sim! Acredito que tem solução? Sim! E vou trabalhar pra isso, com todas as minhas forças! Sei que tem muita gente que pensa como eu, e que por sinal me incentiva para continuar meu trabalho e manter meu foco. Por isso, peço desculpas por trazer o primeiro post de 2016 sem imagens coloridas e fofinhas… Agradeço você que lê esse texto imenso e peço que separe uns minutinhos para pesquisar sobre o assunto. Estarei aqui para trocarmos ideias e unirmos forças.

Um novo ano de fé, foco, energia, trabalho e respeito para todos nós! Bjx

Publicado por

Erika Karpuk

erikakarpuk.com

8 thoughts on “O DESIGN, O LIXO E A CONSCIÊNCIA

  1. Erika, não sei nem por onde começar… Este teu post deveria sair em todos os jornais e revistas do mundo… eu compartilho de tantos sentimentos que tu soubeste descrever tão bem!!! não vou ficar de lero lero, tu já disse tudo, apenas: ESTOU CONTIGO! E TAMO JUNTAS NESSA LUTA!!!

    Curtir

Ei! Não vá embora! Me conte o que achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s